O ESPELHO – MACHADO DE ASSIS

Boa tarde pessoal, continuando os livros obrigatórios da Unicamp, hoje iremos falar sobre o conto O Espelho de Machado de Assis. Reconhecido por seus romances, é considerado um dos maiores escritores brasileiros da sua época. Nesse post irei abordar as análises e resumos de sites reconhecidos no meio acadêmico, além de resenhas em vídeo, download da obra e link para a compra do livro.

O conto O Espelho, de Machado de Assis, foi publicado originalmente na Gazeta de Notícias em 1882 e reunido em livro com o título de Papéis Avulsos do mesmo ano. Esta obra, segundo alguns críticos de Machado, é uma espécie de divisor de águas e marca o ápice de seu amadurecimento literário e, portanto, é considerada um de seus melhores livros de contos.

Resumo

O protagonista, Jacobina, encontra-se com quatro amigos em uma casa no bairro de Santa Teresa. Era noite e os senhores discutiam questões filosóficas. Tinham todos cerca de quarenta e cinquenta anos e debatiam efusivamente enquanto Jacobina se contentava a assistir a discussão intervindo pouco e pontualmente. Até que, a meio da noite, o protagonista pede a palavra para contar um caso que aconteceu consigo. Conclui a história pessoal defendendo a tese que o ser humano tem duas almas.

Cada criatura humana traz duas almas consigo: uma que olha de dentro para fora, outra que olha de fora para entro… Espantem-se à vontade, podem ficar de boca aberta, dar de ombros, tudo; não admito réplica.

Para defender a sua tese conta que quando tinha vinte e cinco anos era um pobre rapaz que conseguiu virar alferes da Guarda Nacional. A família radiante, vê Jacobino crescer na vida e morre de orgulho pela conquista do rapaz. Quando recebe a notícia do êxito do sobrinho, Tia Marcolina o convida para visitar o seu sítio.

Chegando lá, a tia, que vivia numa construção humilde, retira o objeto mais valioso da casa – um espelho histórico que ficava na sala – e o dispõe no quarto onde ficaria o alferes. O espelho tinha um passado nobre, ainda tinha resquícios de ouro e madrepérola e veio para o Brasil em 1808, com a corte de D. João VI.

Jacobina fica em casa com os escravos até que, na manhã seguinte, os escravos fogem levando até os cães, deixando o alferes completamente sozinho no sítio. Perturbado com a solidão, Jacobina já não consegue se olhar no espelho. A imagem que o objeto o devolve é “uma figura vaga, esfumada, difusa, sombra de sombra”.

Até que tem a ideia de vestir a farda de alferes e finalmente se sente íntegro outra vez. Jacobina atribui a sensação ao fato de ter encontrado a sua alma exterior, que supostamente havia perdido. E foi assim, vestindo e despindo a farda de alferes da Guarda Nacional, que conseguiu sobreviver aos seis dias seguintes de solidão.

Por fim, ao terminar a narração da história, Jacobino levanta-se e vai embora deixando os quatro amigos imersos em um misterioso silêncio na casa de Santa Teresa.

Análise

Neste conto aparece mais uma vez os temas chaves de Papéis Avulsos: ser versus parecer, desejo versus máscara, vida pública versus vida íntima. Através de uma aguda análise do comportamento humano, Machado de Assis expõe em “O Espelho” que a nossa “alma externa”, ligada ao status e prestígio social, à imagem que os outros fazem de nós, é muito mais importante do que a nossa “alma interna”, ou seja, a nossa real personalidade.

O autor ironiza a sociedade da época em uma das mais arraigadas crenças do povo cristão, que é a existência de uma única alma portadora de expressão única e inabalável até então.

Ao escrevê-lo, Machado de Assis lança a idéia de que o indivíduo está sujeito a duas “almas”. Segundo ele, o ser possui uma alma interna, a qual “olha de dentro para fora” transmitindo seus anseios particulares e valorizando sua consciência individual. Além disso, há uma alma externa, que “olha de fora para dentro”, composta de valores alheios ao indivíduo que são, porém, indispensáveis para a concepção do mesmo. Machado exemplifica: “a alma exterior daquele judeu (Shylock) eram seus ducados; perdê-los equivalia a morrer“.

O conto em questão tem início e fim com o foco narrativo em terceira pessoa; neste intervalo ocorre o discurso do personagem principal, Jacobina, que narra “um caso de sua vida” aos cavalheiros presentes na “casa do morro de Santa Tereza”.

Pode-se notar que Machado traça um paralelo entre a alma de Jacobina e a alma nacional brasileira, duas imagens que se projetam ou se dissolvem na moldura velha, mas tradicional. Enquanto Jacobina precisava de sua farda de alferes para compor sua imagem, a alma do povo brasileiro talvez precisasse da tradição monárquica para sua representação no espelho da sociedade, como a velha moldura coberta de madrepérolas, mas corroída pelo tempo. Há implicitamente nesta caracterização do espelho uma crítica à oligarquia brasileira, tão presente na Monarquia quanto seria na iminente República. Era a tradição oligárquica, o poder centralizador como moldura de nossa sociedade, moldura velha mas boa, difícil de quebrar, “era a tradição”. E assim, neste conto, coexistem os focos de duas correntes da interpretação literária sobre Machado de Assis, o caráter universalizante de um lado e de outro o histórico-social.

Tempo e espaço no conto Machadiano

O cenário do conto O espelho é uma casa no morro de Santa Teresa, bairro do Rio de Janeiro. A conversa entre cinco amigos tem a duração de uma noite.

No conto, Jacobino, um dos amigos, relembra uma história passada vinte anos atrás no sítio da tia Marcolina.

Links e Fontes

 1- https://www.passeiweb.com/estudos/livros/o_espelho_conto_machado/
2- https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/o-espelho-resumo-e-analise-do-conto-de-machado-de-assis/
3- https://www.culturagenial.com/conto-o-espelho-de-machado-de-assis/
4- http://www.editoraunicamp.com.br/produto_detalhe.asp?id=1190
5- https://canalcienciascriminais.com.br/o-espelho-de-machado-de-assis/
6 – https://educacao.estadao.com.br/blogs/colegio-itaca/notas-de-aula-sobre-o-espelho-de-machado-de-assis/ – Imagem

LIVROS ACADÊMICOS

1 – https://books.google.com.br/books?id=I5uODwAAQBAJ&lpg=PT25&ots=5FqlRyTMTU&dq=o%20espelho%20machado%20de%20assis&lr&hl=pt-BR&pg=PT25#v=onepage&q=o%20espelho%20machado%20de%20assis&f=false
2 – https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=xR6gDwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT3&dq=o+espelho+machado+de+assis&ots=PORfbMTjVF&sig=c5TvGSxfMWXKLQufyzh4j2Q_pkE#v=onepage&q=o%20espelho%20machado%20de%20assis&f=false

DOWNLOAD DO LIVRO

LINK PARA COMPRA

Um comentário sobre “O ESPELHO – MACHADO DE ASSIS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s