Sobrevivendo no Inferno, Racionais Mc’s

Olá pessoal! Retornando com o 6º livro da lista Unicamp 2021, apresento-lhes Sobrevivendo no Inferno, do Grupo Racionais Mc’s. Ele possui 160 páginas e nota 4.3 baseado em 355 avaliações no skoob. Foi lançado em 2018 pela Companhia das Letras. De acordo com os posts anteriores, estarei selecionando textos de alguns sites, assim com deixarei os links das fontes e o link para compra do livro físico. Então vamos lá!

A principal obra do maior grupo de rap do Brasil agora publicada em livro, contundente como sempre e atual como nunca. Leitura obrigatória do vestibular da Unicamp.

Na virada para os anos 1990, os Racionais MC’s emergiram como um dos mais importantes acontecimentos da cultura brasileira. Incensado pela crítica, o disco Sobrevivendo no inferno vendeu mais de um milhão e meio de cópias. Agora publicados em livro, precedidos por um texto de apresentação e intermeados por fotos clássicas e inéditas, os raps dos Racionais são a imagem mais bem-acabada de uma sociedade que se tornou humanamente inviável, e uma tentativa radical, esteticamente brilhante, de sobreviver a ela.

Composto por Mano Brown, Edi Rock, Ice Blue e KL Jay, foi Sobrevivendo no Inferno que transformou os Racionais de um fenômeno localizado dentro da cena de rap da época em uma das mais populares e importantes bandas do Brasil.

O livro tem 160 páginas, e traz fotos clássicas e inéditas, informações, textos de apresentação, além das próprias músicas que formam o disco. “Foi com ‘Sobrevivendo no Inferno‘ que a juventude negra e periférica se formou. Por causa deste disco muita gente se graduou em autoestima e não entrou para a faculdade do crime”, diz o poeta Sérgio Vaz, medindo a importância do quinto disco dos Racionais.

O álbum é visto como uma bíblia por admiradores do rap e pela nova geração de cantores do gênero, isso fez com que o livro recebesse essa pintura dourada na borda das páginas, simbolizando o mesmo efeito da bíblia.

As faixas contam histórias de pessoas comuns que sobrevivem nas periferias de São Paulo. O disco colocou o rap no cenário musical brasileiro, expandindo o público e indo além dos seguidores do hip hop.

“Letra de rap é literatura sim, pois ali está a crônica das ruas” argumenta Edi. E confessa: “Ainda não caiu a ficha” da nova conquista do Racionais, considerada a banda mais importante do hip-hop brasileiro. Porém, de uma coisa Edi tem certeza:” Vou morrer e a minha arte vai ficar aqui. Meus bisnetos vão ler esse livro para conhecer a história de seu país” Edi ao Uai.

Porque esse álbum?

  • O álbum é considerado leitura obrigatória para o vestibular de 2020 da Universidade de Campinas (Unicamp).
  • O disco “Sobrevivendo no Inferno”’, dos Racionais MC’s, foi o presente escolhido pela Prefeitura de São Paulo para dar ao Papa Francisco em seminário do Vaticano em 2015.
  • Em lista publicada em 2007, a revista Rolling Stones, uma das publicações de música mais conceituadas do país, colocou a obra na posição 14 entre os 100 melhores álbuns da música brasileira.
  • O disco alcançou a marca de 1.500.000 copias vendidas, se tornou destaque por ter sido lançado por uma gravadora independente.

“Foi com Sobrevivendo no inferno que a juventude negra e periférica se formou. Por causa deste disco muita gente se graduou em autoestima e não entrou para a faculdade do crime.” — Sérgio Vaz

Mais que uma aula de poesia e métrica, “Sobrevivendo no Inferno” é uma aula de história, racismo, violência, direitos e literatura. Mais especificamente, o álbum faz uma crônica da violência, exclusão, discriminação, racismo e falta de oportunidades à juventude negra.

Lançado em dezembro de 1997, Mano Brown tinha 27 anos e se declarava um sobrevivente no inferno da periferia de São Paulo de um país que sistematicamente extermina sua população negra há séculos, dando voz a muitos outros negros que sobrevivem na selva urbana, cujo maior vilão é o Estado e o racismo estrutural.

Eu tinha 15 anos quando o álbum foi lançado e “Sobrevivendo no Inferno” foi meu primeiro contato com o rap – meu e de muitos garotos e garotas daquela época. Mais que expor o racismo e a violência, o grupo devolveu à população negra brasileira a voz, o grito sufocado por tanta opressão e medo. Lembro-me que na época, muitas pessoas passaram a circular com camisetas que traziam estampadas o logo do álbum, uma cruz com o salmo 23, ou com a frase “orgulho de ser negro”. Essas mesmas pessoas eram os principais alvos das revistas policiais feitas nas portas das escolas públicas ou nas entradas dos bailes de black music. Essas mesmas pessoas se viam representadas nas letras do grupo rap.

FONTES E LINKS

1 – https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2018/06/entenda-por-que-racionais-e-leitura-obrigatoria-no-vestibular.html
2 – https://www.tamiresdecarvalho.com/resenha-sobrevivendo-no-inferno-dos-racionais-mcs/
3 – https://revistacult.uol.com.br/home/sobrevivendo-no-inferno-racionais/
4 – http://www.justificando.com/2018/05/28/sobrevivendo-no-inferno-e-uma-aula-de-historia-politica-racismo-e-luta-por-direitos/#:~:text=A%20atmosfera%20%C3%A9%20a%20do%20medo%20e%20da%20viol%C3%AAncia.&text=Mais%20que%20uma%20aula%20de,de%20oportunidades%20%C3%A0%20juventude%20negra.
5 – https://medium.com/levalivro/livro-sobrevivendo-no-inferno-%C3%A9-a-nova-obra-do-grupo-racionais-mcs-39e7ad106ab5
6 – https://www.hypeness.com.br/2018/09/obra-prima-dos-racionais-sobrevivendo-no-inferno-vira-livro/
7 – https://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,sobrevivendo-no-inferno-dos-racionais-mcs-vira-livro-e-vai-cair-no-vestibular,70002617583
8 – https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=14619

Livro com desconto na AMAZON!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s